Vídeo: homem agride morador de rua no centro de Londrina

Publicado por

Moradora da região registrou momento em que homem é jogado com força contra o asfalto pelo agressor, que não foi identificado

Cecília França

Era por volta das 23h40 de ontem (05) quando uma moradora do centro de Londrina ouviu de seu apartamento uma briga entre dois homens. Da sacada ela viu que a situação envolvia um morador da região e um homem em situação de rua, que havia acabado de revirar a lixeira em busca de comida. Ela decidiu gravar a cena e registrou o momento em que o homem, forte, joga o morador de rua no chão, batendo sua cabeça contra o asfalto. (assista abaixo)

A cena ocorreu próximo à Concha Acústica e comoveu a moradora que fez o registro. “Ele não tem nada e aquele moço tem discernimento, poderia ter ido para a casa dele e ignorado, mas decidiu bater numa pessoa que não tem nada. Eu fiquei preocupada porque se ele estivesse muito machucado poderia morrer na rua”, conta ela à Lume, pedindo anonimato.

A moradora diz que, no início, pensou se tratar de uma briga entre pessoas em situação de rua que, segundo ela, não são raras. Ela afirma não ter ideia do motivo da discussão entre os homens. “Eu fiquei incomodada e preocupada, porque como ele é morador de rua ninguém se prestou a ligar para a polícia”, diz ela, que optou por repassar o registro para a imprensa.

No vídeo de quase um minuto vemos o morador de rua pedindo para que o outro não batesse nele. “Perdão, bate não”, ele diz. Na sequência ele é jogado no chão e o agressor repete a frase “Deixa eu falar com você” algumas vezes, e questiona: “Você não queria falar comigo, seu bosta?”. O morador de rua se levanta com dificuldade e vemos uma mancha de sangue no asfalto.

O agressor, de acordo com a autora das imagens, entrou em um prédio após o ocorrido. Ele não foi identificado.

Um comentário

  1. É fácil resgatar essas imagens e identificar o agressor… A Guarda Municipal tem uma câmera estrategicamente instalada ali para “coibir” que as pessoas em situação de rua se aglomerem ali, “incomodando” os moradores do entorno. Fazer justiça e identificar o agressor não é difícil se houver vontade para isso… Será que há???

Deixe uma resposta