Profissionais de saúde e idosos em asilos serão os primeiros vacinados em Londrina

Publicado por

Plano municipal inclui professores, forças de segurança, pessoas em situação de rua, entre outros; primeiras doses do imunizante podem chegar na quarta-feira (20)

Cecília França

Hoje foi um dia histórico para o Brasil com a aprovação de uso emergencial, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de duas vacinas contra a covid-19: a Coronavac (desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan) e a produzida pela Oxford/AztraZeneca. Após 11 meses de pandemia tivemos a primeira brasileira vacinada, uma enfermeira de São Paulo, e os outros municípios começam a pensar na execução de seus planos. Londrina prevê vacinar 170,5 mil pessoas prioritariamente, conforme apresentado nesta noite pelo prefeito, Marcelo Belinati, e pelo secretário de saúde, Felippe Machado.

A execução do plano municipal de imunização vai começar tão logo cheguem as primeiras doses enviadas pelo Ministério da Saúde, o que pode ocorrer na quarta-feira (20). Profissionais de saúde e idosos vivendo em asilos serão os primeiros vacinados. Secretário e prefeito ainda não sabem a quantidade de doses que o município receberá, por isso, não conseguem estimar quanto tempo vai levar a execução do plano, que tem quatro fases.

“Não temos essa informação porque vai depender do número de doses que chegarem a Londrina. Nesse primeiro momento estão sendo distribuídos (pelo Ministério) 8 milhões de doses (para todo o país), que é pouco, mas em fevereiro tem a previsão de mais 30 milhões de doses, 30 milhões em março e 40 milhões em abril. Aí a gente vai ter como fazer uma estimativa”, declarou o prefeito em resposta à Lume.

Veja as fases do plano abaixo:

‘Gripezinha’

Belinati pediu à população que mantenha, e até reforce, os cuidados de combate à pandemia agora que a vacinação dos grupos de risco é iminente. Nas palavras dele, “O que vai acabar com a pandemia é uma coisa só, a vacina”.

“As pessoas que às vezes se influenciaram por aquela enxurrada de fake news, entendam que aquelas fake eram até briga política, uma infelicidade”, afirmou, defendendo a eficácia de 50% da Coronavac. “A eficácia da vacina é fantástica: 50% de todo mundo que tomar está imune, os outros 50% que podem vir a pegar não vão evoluir para o estágio grave da doença, então, vai transformar essa doença numa ‘gripezinha’, no que lá atrás foi falado e que não era”.

A previsão do Ministério da Saúde é que o Brasil tenha até 100 milhões de doses das vacinas contra covid-19 até o mês de abril. Isso significa que será possível imunizar, com este montante, 50 milhões de brasileiros, já que são necessárias duas doses. De acordo com o prefeito, a segunda dose pode ser administrada entre 14 e 28 dias após a primeira aplicação.

Insumos

O secretário de saúde garantiu que Londrina tem insumos suficientes para a execução do plano de vacinação, com capacidade para armazenar 250 mil doses de vacina e conta com 200 vacinadores. Quanto aos locais de aplicação, além de 50 salas de vacina em UBSs, está prevista a possibilidade de pontos drive thru (Centro de Eventos, Parque de Exposições Ney Braga e Autódromo) e pontos fixos fora das unidades de saúde (escolas, Ginásio Moringão, universidades). Profissionais de saúde serão vacinados nas próprias instituições de trabalho.

Deixe uma resposta