Participação de mais velhos nas mortes por covid cai de 36% para 12%

Publicado por

Levantamento da Lume mostra que impacto da vacinação derrubou índice entre pessoas com 80 anos ou mais

Nelson Bortolin
Colaborou Cecília França

Foto em destaque: Assessoria do HU

A julgar pela evolução do porcentual dos mais velhos no total de mortos pela covid-19, a vacinação vem surtindo um bom efeito em Londrina. Em janeiro, 36,3% dos óbitos eram de pessoas com 80 anos ou mais. Essa porcentagem vem caindo mês a mês, chegando a 30,4% em fevereiro, 22,4% em março, 17,4% em abril e 12,3% em maio.

Quando o recorte é feito com pessoas de 70 anos ou mais – que inclui parte da população vacinada mais tarde – a redução não foi constante mês a mês. Mas, na comparação entre janeiro e maio, os mortos com 70 anos ou mais caíram de 65,9% para 37,7%.

A idade média das pessoas que morreram com a doença na cidade caiu praticamente 10 anos desde janeiro, de 73,1 para 63,5 anos.

A má notícia é que o ritmo de vacinação caiu pela metade de abril para maio. No mês passado, foram aplicadas em média 1.627 primeiras doses por dia. Neste mês, esse número caiu para 784 – menos 52%. A média diária de segundas doses aplicadas teve queda porcentual menor, de 1.368 para 975 por dia, ou seja, uma redução de 28%.

Até o dia 18 de maio, 125.002 londrinenses tinham recebido ao menos uma dose de vacina em Londrina, o que representa 21,7% da população. Já 77.585, ou 13,4% da população, tinham sido imunizados com as duas doses.

A pneumologista do Hospital Universitário (HU), Zuleica Tano, relata, sem revelar números, que os internamentos de pessoas idosas apresentaram queda, principalmente dos pacientes acima de 75 anos.

“Porém, ainda temos pacientes internados tendo tomado apenas uma dose da vacina”, alerta. “Por isso a importância de continuarmos nos cuidando, com uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos”.

Médias móveis

Nesta quarta-feira (19), Londrina chegou a 1.366 mortos pela covid. No total, 54.649 casos foram confirmados desde o início da pandemia. A média móvel de mortes é de 5,9 e a de novos casos, de 250.

Há 270 londrinenses internados, sendo 141 em UTIs.

Veja nos gráficos que a média móvel de mortes está menor que no pico da disseminação da doença, mas o número de novos casos está em alta nos últimos dias. Já as internações seguem nos níveis mais altos desde o começo da pandemia.

Em números absolutos, os óbitos vêm caindo. Em março foram 282 vidas perdidas, recorde desde o início da pandemia. Em abril foram 264 e nos primeiros 18 dias de maio, 123.

Deixe uma resposta