Coletivos e movimentos sociais chamam ato contra o governo neste sábado

Publicado por

Manifestação acontece em vários pontos do país contra o aumento da fome e do desemprego e pela vacinação em massa contra a covid-19

Cecília França

Manifestações contrárias ao governo do presidente Jair Bolsonaro estão sendo convocadas em todo o país neste sábado, 29. Em Londrina, movimentos sociais e coletivos chamam para a concentração às 17h na Concha Acústica. Os convites publicados nas redes sociais destacam a importância dos cuidados de segurança em função da pandemia da covid-19, que tem se agravado nas últimas semanas.

Comitê Unificado Londrina, Sindicato Independente dos Trabalhadores (SiT), Ação Antifascista (AfaLondrina), União da Juventude Comunista (UJC), Movimento Autônomo Popular (MAP), Tendência Autônoma Feminista (TAF), Frente Feminista (FF) e Frente Trans de Londrina estão entre os coletivos com presença confirmada no ato, que tem como pautas o impeachment de Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, vacinação em massa contra a covid-19 e auxílio emergencial de R$ 600 enquanto durar o estado de calamidade.

“Por emprego, vacina no braço e comida no prato!”, diz a UJC em suas redes sociais. O lema varia nas palavras, mas mantém o conceito. “Vida, pão, vacina e educação”, brada o Comitê Unificado em outra publicação. Dentre as medidas de segurança divulgadas pelo grupo estão: manter distanciamento, levar o próprio álcool em gel e uso obrigatório de máscaras, preferencialmente N95/PFF2.

A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares elaborou um guia de segurança para atos de rua durante a pandemia, no qual orienta que as manifestações devem ocorrer sempre em local aberto e ventilado; os manifestantes devem manter distanciamento de 2 metros entre eles; caso não possua as máscaras indicadas acima, use uma cirúrgica embaixo da de pano; o transporte até o local deve ocorrer em veículos onde as janelas possam ser mantidas abertas; não deve haver abraços ou beijos nem compartilhamento de objetos ou alimentos; lavar as mãos sempre que for tocar nos olhos, boca nariz ou na máscara; levar máscaras extras para pessoas que necessitem; não participar se estiver com sintomas suspeitos de covid-19 ou tendo testado positivo, ou ainda se tiver contato com pessoas contaminadas.

A organização relembra os principais sintomas da covid-19: tosse, febre, cansaço, dor de cabeça, coriza, congestão nasal, dor de garganta, perda de olfato ou paladar, falta de ar e diarreia.

Deixe uma resposta