Online: Parada LGBTI+ Paraná acontece amanhã

Publicado por

Evento vai reunir paradas de seis cidades do Estado em quatro horas de atrações artísticas e debates

Cecília França

Paradas LGBTI+s de diversas cidades do Estado unem duas atrações neste domingo (27) em um grande evento estadual. A Parada LGBTI+ Paraná 2021 acontece de forma virtual, transmitida a partir de Apucarana, com quatro horas de lives musiciais e bate papos. O evento tem início às 14h e pode ser acompanhado pelas redes sociais de cada parada: Apucarana, Londrina, Maringá, Cascavel, Curitiba e Foz do Iguaçu.

À frente da parada de Apucarana, Renata Borges vai comandar a transmissão. Ela destaca que a impossibilidade de realizar eventos presenciais pelo segundo ano consecutivo levou à união das paradas para propiciar melhor alcance dos conteúdos. “Nós estamos em um período tão segregacional que a gente precisa unificar, discutir essas novas falas”, ressalta Renata.

Outra novidade do evento em 2021 é a eleição do rei e da rainha da parada. Na opinião de Renata, o concurso contempla “a beleza da pluralidade” da comunidade LGBTI+. “Não existe um padrão de beleza numa sigla tão diversa, mas a gente precisa entender que a luta coletiva ela se faz presente na representatividade”, defende.

Thon Cris, da Associação Paranaense da Parada da Diversidade, destaca que toda parada é momento de comemorar avanços de garantias de direitos e planejar novos objetivo. Ele acredita que a união das paradas das diversas cidades reforça a importância de ser debatida no Estado a cidadania e a visibilidade LGBTI+.

“A unificação das lutas de várias organizações vem de encontro com a necessidade de prevenção da pandemia da covid-19, além de proporcionar ao movimento LGBTI do nosso Estado que possamos estar falando a mesma língua, a busca de direitos onde possamos fortalecer nosso bloco de reivindicações”, declara.

A exposição de fotos oficial da Parada LGBTI+ Paraná “Existências Resistentes” pode ser conferida no site da fotógrafa Camila Melo, de Apucarana, que há vários anos faz registros fotográficos de corpos LGBTI+. Para acessar a galeria completa, clique aqui.

Deixe uma resposta