Família faz ‘vaquinha’ para pagar tratamento de jornalista com covid

Publicado por

Moradora de Arapongas, Adriana Roveri está internada em Londrina há 12 dias após complicações causadas pela doença

Da Redação

Foto: Divulgação

Família e amigos da jornalista Adriana Roveri, 34 anos, de Arapongas, iniciaram uma campanha para conseguir recursos para pagar o tratamento particular dela a contra covid-19. Já são 15 dias de internamento, sendo 12 em hospital particular em Londrina. A transferência ocorreu após a família ter dificuldade em obter informações sobre o estado de saúde de Adriana e buscar um local com melhores recursos.

Dos doze dias internada no Hospital do Coração, em Londrina, Adriana está há sete na UTI. Neste sábado (03), ela foi intubada. Diante da gravidade do quadro e por não ter previsão ainda de alta, a família, com apoio de amigos, resolveu lançar uma “vaquinha” para ajudar a pagar as diárias no Hospital do Coração.

As doações podem ser feitas por PIX. A chave PIX é o número do celular da irmã de Adriana, Fernanda Riveri Alves: (43) 9 8841-14 85.

Desde que Adriana foi internada, familiares se revezam no pagamento das diárias, cujo custo varia entre R$ 9 a R$ 12 mil, dependendo da medicação usada. Já na enfermaria, a média é de R$ 5 mil. “Não é um luxo, mas uma necessidade mantê-la aqui, porque se não tivéssemos transferido ela, não descartamos a possibilidade dela não ter resistido”, afirma a irmã.

O marido da jornalista e web designer, Alcir Tanno, ressalta que a permanência da esposa no hospital particular é essencial para que ela se recupere. “Temos muita fé na recuperação dela e pedimos a quem possa colaborar nesse momento, com qualquer valor, fará muita diferença. Não vamos ficar com nenhum valor além do necessário para pagar as custas médicas. Assim que ela sair, vamos encerrar a campanha”, garante.

Histórico

Adriana foi positivada para a covid-19 há 16 dias. Ela voltou à UTI na última quinta-feira (29/06) após o quadro não evoluir conforme o esperado pelos médicos. Uma ressonância dos pulmões, feita na quarta-feira (30), mostrou que a doença comprometeu 90% do órgão. O exame mostrou ainda que a pneumonia havia cessado e algumas fibras começavam a se restaurar.

A jornalista foi positivada no dia 16 de junho, uma quarta-feira. Na quinta-feira, procurou um médico particular, que passou uma série de medicamentos e exames, como tomografia, que mostrou comprometimento de 10% dos pulmões. No sábado, 19, deu entrada na UPA, com falta de ar. Voltou pra casa no fim da tarde, passou mal novamente à noite, já na madrugada de domingo, sendo encaminhada para o Honpar, em Arapongas, no domingo na hora do almoço. A transferência para Londrina ocorreu na terça-feira no início da tarde.

Deixe uma resposta