Vou sentir falta…

Publicado por

Ajudem
Ajudem
Parem aquele ladrão
PEGUEM-NO
Antes que ele…
Fuja.

Fugiu
Foi-se embora
Para nunca mais voltar.

O que me roubaram?
De que interessa?
Nunca mais a terei de volta
Nunca mais
Acho que já não posso mais
Simplesmente não me recordo
De como tal ato poderia ser natural para minha pessoa.

Resta-me sonhar
Rezar para que esta encontre um bom lugar
Um bom lar, onde seja bem tratada
Talvez alguém que não a necessite tanto quanto eu
Que não se valha dela para tudo.

É
Talvez em alguns milhares de anos
Eu me acostume em não ter ela aqui
Ou talvez
Eu seja só um poeta dramático
Desacostumado ao terror inato das noites de quinta.

Quem sabe eu já deve-se ter me acostumado
Afinal, já se passou mais de um ano
E isto ainda me persegue.
Ora, um poeta também se cansa
Ou ele é simplesmente um brasileiro
Em situação de estafa contínua
Com o seu desesperador país.

Mas mesmo assim
Ninguém deveria ter esse direito
Eu ainda chorarei todas as noites
Pensando em te ter de volta
Recuperar o que me roubaram
Mas é isto
Eu sentirei sua falta
Minha querida criatividade,
Eu sentirei sua falta.

É isto, peço desculpa aos leitores, mas infelizmente não terei capacidade de exercitar toda minha criatividade na coluna de hoje, simplesmente porque esta me foi roubada. Talvez algum dia eu a tenha de volta, talvez algum dia ela volte sozinha ou talvez eu esteja fadado a viver sem ela. Apenas mais uma poesia refletindo sobre tudo e pensando em nada ou vice-versa?

E um feliz dia dos professores para todos os mestres que contribuíram, direta ou indiretamente, para que eu pudesse me tornar o que sou hoje, mas principalmente para minha mãe, a melhor professora que a vida podia me dar.

*Antonio Rodríguez, 18, estudante e poeta nas horas vagas (e algumas ocupadas também). Apaixonado pela vida, faz o máximo para transformar tudo em poesia. Mantém o Instagram @a.poetizando.me

Deixe uma resposta