População de rua recebe alimentação no Dia Mundial dos Pobres

Publicado por

Arquidiocese de Londrina oferece café da manhã, almoço e jantar para pessoas em situação de rua em diversos pontos da cidade

Talyta Elen, especial para a Lume

Neste 14 de novembro, considerado o Dia Mundial dos Pobres pela Igreja Católica, a Arquidiocese de Londrina celebrou ofertando café da manhã, almoço e jantar para pessoas em situação de rua. O café da manhã foi ofertado na Catedral e o almoço e o jantar em três pontos diferentes da cidade. Também ocorreram ações descentralizadas nas diversas paróquias da arquidiocese, com a população que já é atendida no cotidiano das comunidades. Foram servidas pelo menos 500 refeições.

Cláudio Gonçalves estava com a esposa Susana e a filha Ester na Catedral. Para ele, a iniciativa ajuda a garantir um mundo melhor. “Até que ponto chega o amor de Jesus Cristo, esses anjos que ele deixa na Terra, esses santos do Senhor para ajudar essas pessoas. Se todo mundo fosse assim, o mundo seria mudado. Essas poucas pessoas que fazem isso conseguem mudar uma porcentagem da violência, da ignorância desse povo”, opina.

Para ele, pessoas em situação de rua precisam ser olhadas com solidariedade. “Achei muito legal porque hoje em dia as pessoas já não ajudam mais as outras, porque existe muita malandragem, muita falsidade. Temos que dar valor para esse tipo de trabalho que eles fazem, doar alimento para as pessoas que necessitam na rua. Não importa se ela é drogada, se ela é viciada, ela já é uma doente, não vamos apedrejar, vamos dar um alimento para ela comer, para ver se consegue ao menos diminuir naquele período que ela tem fome”.

Edilson Leite também recebeu a alimentação e acredita que um evento como esse “só pode ser proporcionado por Deus”. “Quantas pessoas estavam nesse momento com fome, aí veio Deus e trouxe esse alimento para todos que estão aqui”, declara.

Leandro de Oliveira acredita que ações como essas deveriam ocorrer com mais frequência e serem ainda mais amplas. “É bom né, quase não tem. Precisava seguir direto, não só no final de ano. Mas tinha que ter um banho, umas coisas para ajudar mais. Ano retrasado teve banho, doação de roupas, calçados, mas está bom”, afirma, contando que também já doou seu tempo em prol do próximo.

“Por incírvel que pareça eu fazia isso também, ajudando lá no MMA (Ministério de Missões e Adoração). Era uma casa de apoio, nós ‘fazia’ marmita e levava na praça para entregar para o pessoal lá”, recorda.

Londrina tem 27 mil família na extrema pobreza

A Arquidiocese informa que, segundo dados do Ministério da Cidadania referentes a setembro de 2021, Londrina tem mais de 27 mil famílias vivendo em extrema pobreza, ou seja, com uma renda per capita de até R$ 89. Já as famílias consideradas de baixa renda, que vivem com menos de meio salário mínimo per capita, somam 63 mil. Os dados são obtidos através das inscrições no Cadastro Único para Programas Sociais, que reúne informações socioeconômicas das famílias brasileiras de baixa renda.

Data instituída pelo Papa Francisco

O Dia Mundial dos Pobres é uma iniciativa do Papa Francisco e chega neste ano à sua 5ª edição com o objetivo de provocar a reflexão, ação e oração em torno dos que vivem em vulnerabilidade social. O tema proposto este ano é: “Sentes compaixão?”, um convite a não ter indiferença frente ao sofrimento das pessoas em situação de vulnerabilidade e à crescente pobreza socioeconômica que assola mais 51,9 milhões de brasileiros.

A proposta em Londrina foi “somar ao que já vem sendo ofertado pela rotina dos grupos solidários” das paróquias, conforme o padre Dirceu Fumagalli, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na zona sul de Londrina, e um dos organizadores do evento.  

A ação foi organizada pelas Pastorais Sociais, Pastoral da Rua da Paróquia São Lourenço, zona sul, e Santuário Nossa Senhora Aparecida, Toca de Assis e Paróquia Ambiental.

(Com informações da assessoria da Arquidiocese)

Deixe uma resposta