Londrina não vai exigir receita médica para vacinar crianças

Publicado por

Mais de 11.875 crianças entre 5 e 11 anos já estão cadastradas para receber a vacina contra a covid-19

Da Redação

Foto em destaque: CDC/Unsplash

O município de Londrina não vai exigir a apresentação de receita médica nem assinatura de termo de responsabilidade para vacinar crianças contra a covid-19. A afirmação foi feita pelo prefeito, Marcelo Belinati (PP), em suas redes sociais, na última sexta-feira (24). Até o momento, 11.875 cadastros de crianças entre 5 e 11 anos foram efetivados junto à Secretaria de Saúde. O início da vacinação depende do Ministério da Saúde.

Desde a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da imunização de crianças nessa faixa etária com a vacina da Pfizer, em 16 de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) vem atuando para atrasar a vacinação. Partiu dele a ideia de exigir receita médica e termo de responsabilidade dos pais. Em live realizada antes de suas férias, Bolsonaro havia dito que a decisão final caberia aos pais e chegou a defender a divulgação dos nomes dos técnicos da Anvisa que liberaram a vacinação.

Em 23 de dezembro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, endossou a fala de Bolsonaro em entrevista coletiva. Um dia depois, o Supremo Tribunal (STF) exigiu que o governo explique as exigências. No pedido, o minsitro Ricardo Lewandowski confere um prazo de 5 dias para as explicações, atendendo a pedido da Rede Sustentabilidade.

Ao menos 16 países já iniciaram a vacinação de crianças com menos de 12 anos. O Brasil é o segundo País do mundo com mais óbitos de crianças por covid-19, mais de 2.500 casos.

LEIA MAIS: Bolsonaristas mentem sobre mortes de crianças por covid

2 comentários

Deixe uma resposta