Vacina para crianças começa a chegar ao Paraná

Publicado por

Primeira remessa com 60 mil doses do imunizante da Pfizer/BioNtech para crianças de 5 a 11 anos chega ao Estado na manhã desta sexta; Saúde prevê início da vacinação em Londrina na próxima semana

Mariana Guerin

Foto em destaque: Américo Antonio/Sesa

O Ministério da Saúde anunciou na manhã desta quinta-feira (13) que encaminhará ao Paraná 60 mil vacinas contra a covid-19 para atender crianças de 5 a 11 anos. O governo federal estima um público total de 1.075.294 crianças no Estado. A Secretaria de Saúde de Londrina ainda não sabe informar a quantidade exata de imunizantes que será destinada ao município.

O voo que trará as vacinas deve chegar ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, nesta sexta-feira (14), às 7h50. As doses serão encaminhadas ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e descentralizadas aos municípios.

O Brasil recebeu, na madrugada de hoje, o primeiro lote da vacina da Pfizer/BioNtech contra covid-19 para essa faixa etária. A remessa com 1,248 milhão de doses desembarcou no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). A vacinação infantil está prevista na Nota Técnica 2/2022, publicada em 5 de janeiro pelo Ministério da Saúde dentro do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

A imunização vai atender diretrizes semelhantes às dos adultos. Será iniciada por crianças com comorbidades e deficiência permanente, seguidas de indígenas e quilombolas, as que vivem em lares com pessoas com alto risco para evolução grave de covid-19 e, então, em ordem decrescente de idade: iniciando pelos 11 anos até chegar aos 5 anos.

Segundo dados do Portal da Transparência do governo federal, 324 crianças com idade entre 5 e 11 anos morreram de covid-19 no Brasil desde março de 2020, início da pandemia no País. No Paraná, foram 20 crianças, segundo dados de cartórios de registro civil.

Vacinas: 16 mil crianças já estão cadastradas em Londrina

Em Londrina, 16 mil crianças já estão cadastradas no sistema municipal de imunização, que ontem atingiu a marca de mais de 1 milhão de vacinas aplicadas. Deste total, 460.418 pessoas receberam a primeira dose, 425.855 já completaram o esquema vacinal, tendo recebido a segunda dose (412.729) ou dose única (13.126). Além disso, 127.254 já receberam a dose de reforço.

O Município disponibiliza cinco locais para vacinação: o Centro de Imunização da Zona Norte e as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Jardim do Sol, Eldorado, Alvorada e Ouro Branco, que funcionam de segunda a sexta, das 7h às 19h. As unidades rurais realizam a imunização uma vez por semana e, excepcionalmente, o município abre os pontos de vacinação aos sábados, dependendo da demanda.

Conforme o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, até amanhã a equipe técnica do município já deve ter o fluxo de vacinação desenhado para informar à população. “Nossa expectativa é que a gente possa iniciar essa vacinação já no começo da semana que vem e um dado muito importante para nós, enquanto planejamento, é saber quantas vacinas Londrina vai receber dessas 60 mil.”

“Através disso que nós vamos conseguir nos organizar, de modo que a gente consiga atender da melhor maneira possível as nossas crianças, até mesmo porque é uma vacina diferenciada para esse público, no sentido de convencimento e de preparação”, disse Machado, em entrevista ao jornal Meio Dia Paraná, da RPC de Londrina.

“Nosso apelo pela vacinação é diário, pois sabemos da importância da vacinação. Nós vimos os aumentos do número de casos nos Estados Unidos em relação às crianças. Internações, na grande maioria, de crianças que não estavam vacinadas. Fazendo esse convencimento, e a Secretaria de Educação tem nos ajudado nisso, nós esperamos que com o início, propriamente dito, da vacinação, aumente também a procura pelos cadastramentos.”

Londrina tem mais um dia de recorde de casos de covid-19

Ontem, pelo segundo da consecutivo, Londrina bateu recorde no número de casos ativos de covid-19, somando 1.898 pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Segundo o boletim da Secretaria Municipal de Saúde, mais uma morte foi registrada nesta quarta: uma mulher de 67 anos, internada em hospital público em 25 de dezembro, que faleceu na terça-feira (11).

Só ontem foram 562 novos casos confirmados. Dos 1.898 casos ativos, 1.879 pacientes estão em isolamento domiciliar e 19 estão internados: dez em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e nove em enfermaria. A média móvel dos últimos sete dias já chega a 380,6 casos. Desde o início da pandemia, Londrina registrou 91.956 casos, sendo 87.732 curados e 2.326 mortes por covid-19.

O secretário Felippe Machado ressaltou que o Estado e Londrina vivem um surto de dois vírus, disseminados após as festas de final de ano: novo coronavírus e H3N2. Para aplacar a demanda por atendimentos, o Município destinou três unidades para tratamento exclusivo de síndromes respiratórias: as unidades básicas de Saúde da Vila Casoni e do Jardim Guanabara e a Unidade de Pronto Atendimento do Jardim Sabará, que funciona 24 horas. Todas estão lotadas e os usuários têm reclamado do serviço prestado. Leia mais aqui.

Machado explicou que o atendimento nas UBSs, que funcionam das 7h às 19h, depende de uma série de fatores, como “da classificação de risco dos pacientes que estão aguardando, da quantidade de pacientes, do médico que está na escala do horário que o paciente chegou. Pode ter dia que às 11 horas o plantão já vai estar fechado, pode ter dia que às 14 horas o plantão vai estar fechado porque se não nós não fechamos a unidade às 7 da noite”.

“Entretanto, essas pessoas são acolhidas e orientadas a buscar atendimento em um outro local. Neste momento, nós temos duas outras opções, ou o Guanabara ou a UPA do Jardim Sabará, que aí é 24 horas. Abre ficha initerruptamente e ninguém é dispensado. Por essa logística que nós temos que ter essa cautela de fazer esse fechamento de plantão em determinados momentos”, completou Machado.

Ele reforçou que o atendimento é dinâmico e por isso não há a possibilidade de disponibilizar senhas ou número máximo de pacientes atendidos por dia nas UBSs. “Às vezes eu fecho com 30 pessoas aguardando e posso conseguir dar vazão rapidamente e ter capacidade de atender mais, então, por conta dessa dinamicidade, a gente não consegue fazer essa previsão por dia.”

“Sem interrupção é a UPA do Jardim Sabará. Ali as pessoas podem ir que não vão ter nenhum risco de não ser atendidas. Entretanto é importante que a gente faça essa distribuição entre a rede para conseguir diluir os atendimentos. O que está acontecendo é um reflexo das grandes movimentações que nós tivemos no Natal e Ano-Novo e não é só no serviço público, qualquer local que você for hoje está atrás de atendimento, na rede privada, convênios, plano de saúde”, lembrou o secretário.

Segundo ele, não houve aumento no número de atendimentos diários, que está estabilizado desde a última quinta-feira (6): “É importante destacar que nesse momento nós estamos dentro desse processo de um surto de gripe e de covid, que tem feito aumentar muito nossa demanda”.

Machado informou que a tenda montada na UPA Sabará para atender casos de covid-19 será local de coleta de testes, para desafogar a parte interna da UPA, que recebe um fluxo intenso de pessoas, e dar a melhor condição ao trabalho aos funcionários da unidade.

“De uma situação em que o paciente chega na UPA com sintomas respiratórios no primeiro ou no segundo dia e o médico, pela conduta dele enquanto profissional, aponta a coleta para daqui dois ou três dias. E esses pacientes estavam voltando para UPA, abrindo ficha e tendo que ficar novamente todo esse período. Então agora, com essa estrutura, quando o teste é agendado, ele já vai direto na tenda e realiza o teste.”

Conforme Machado, não há desabastecimento de insumos para a realização de teste de covid-19 em Londrina. Hoje, são realizados dois tipos de testes na cidade, com prazo de entrega de resultados que varia de 24 horas a 5 dias. “Nesse momento, todas as pessoas para quem há indicação estão escolhendo o teste, seja o RT-PCR ou o teste rápido.”

Com informações da Agência Estadual de Notícias.

Leia também:

Em apenas 7 dias, janeiro supera dezembro em casos de covid

CedcaPR pede vacinação imediata de crianças contra a covid

Deixe uma resposta