Mostra de arte TRAVA marca Dia da Visibilidade Trans

Publicado por

Frente Trans de Londrina exibe curtas amanhã na Concha Acústica, das 18h às 22h

Da Redação

Este sábado, 29 de janeiro, marca o Dia da Visibilidade Trans e Travesti, um dia para refletir sobre as vidas e potências de todes que resistem no país que, pelo 13º ano consecutivo, mais mata essa população no mundo. Para refletir essa visibilidade, a Frente Trans de Londrina promove amanhã (30) a Mostra de Arte TRAVA, a partir das 18h, na Concha Acústica, com exibição de curtas produzides e protagonizades por pessoas trans e travestis.

A origem do dia da visibilidade se deu em 2004, quando esta população foi ao Congresso Nacional lançar a campanha Travesti e Respeito. Em Londrina, a população evoca antepassades que lutaram e deram suas vidas para que hoje pessoas travestis e pessoas trans possam dar mais passos em direção a uma sociedade que inclua e minimamente respeite esta população.

“Toda a comunidade transgenere, e não só em Londrina, mas no Brasil inteiro, ainda sofre as mazelas da transfobia. Não acessamos o mercado de trabalho formal, não acessamos a saúde de modo integral, mas ainda assim resistimos e vivemos! Salve Scarlett O’Hara Costa e tantas outras que deram a vida para que pudéssemos estar aqui, de pé hoje!”, declara Juuara Barbosa, integrante da Frente Trans.

A resistência da população trans e travesti em existir promove o inimaginável. Apesar dos índices de violência (segundo a Antra, 140 pessoas trans foram assassinadas aqui em 2021), o Brasil é o país com mais pessoas trans e travestis eleitas para cargos políticos. Também de acordo com a Antra, foram 30 eleites em 2020, quase quatro vezes mais quando comparado à eleição anterior. Esse dado diz muito sobre a força e a capacidade de mobilização desses corpos, políticos desde sempre.

“Essa história não pode ser apagada. As pioneiras que passaram nos deixaram um legado de luta e glória. Sobrevivemos a ditadura, prisões arbitrárias por ‘vadiagem’, a Peste Gay (como ficou conhecida a epidemia de Aids no inicío dos anos 80, no Brasil) marcada por ações como a Operação Tarântula, em São Paulo, e vibramos com promulgação da Constituição Federal em 1988. E estamos aqui, vivas, ocupando espaços, produzindo, pulsando”, relembra a ativista, artesã e travesti londrinense, Christiane Lemes.

A Mostra de Arte TRAVA tem início as 18h e segue até as 22h. Vamos reverenciar nossas antepassades e aplaudir as que lutam hoje para que outres possam vir!

Serviço: Mostra de Arte TRAVA
Quando:  30/01/2022
Horário: das 18h as 22h
Onde: Concha Acústica de Londrina – Rua Piauí, 130
Promoção: Frente Trans de Londrina

Deixe uma resposta