Covid longa exige tratamento multidisciplinar

Publicado por

Em entrevista, o pneumologista Alcindo Cerci Neto destaca que quadro prolongado da doença nem sempre tem relação com infecções graves

Vinícius Fonseca
(Entrevista originalmente publicada no Boletim do Projeto Safety)

Você já ouviu falar em covid longa? Trata-se da persistência de alguns sintomas relacionados à doença, que perduram por oito semanas ou mais, após o paciente ter sido diagnosticado com covid-19. Alcindo Cerci Neto, que atua na área da pneumologia e é docente associado do Departamento de Clínica Médica da Universidade Estadual de Londrina (UEL), fala nessa entrevista sobre esse quadro da doença, que necessita de uma atenção multidisciplinar, comum nas doenças crônicas.

“É Importante ressaltar que não há relação entre a gravidade da infecção aguda pela covid-19 e a covid longa”, alerta Alcindo Neto. O pneumologista reforça ainda que os cuidados relacionados à covid-19, como fazer a higiene, usar máscaras e evitar aglomerações ainda são a melhor forma de combate à doença.

Confira entrevista completa:

O pneumologista Alcindo Cerci Neto/Foto: Projeto Safety

O que é covid longa e como saber se estou dentro do quadro?

Alcindo Cerci Neto: A covid longa é definida como persistência de alguns sintomas como fraqueza muscular, depressão e sintomas cognitivos, doenças respiratórias, falta de ar e tosse, alterações de olfato ou paladar, associadas a infecção por covid-19, e que persistem após oito semanas do início dos sintomas.

Estudos apontam para diversas sequelas. Qual a importância da multidisciplinaridade no enfrentamento à doença?

Em qualquer doença crônica o atendimento multidisciplinar é de fundamental importância. A atuação nutricional, fisioterapêutica, de enfermagem, médica e diversas outras áreas como a assistência social é de fundamental importância na covid longa.

Uma pessoa pode ter tido covid uma vez sem sequelas e depois ter a doença na forma longa?

Importante ressaltar que não há relação entre a gravidade da infecção aguda por covid-19 e a covid longa. Então é possível sim, que em reinfecções, mesmo que com quadros mais leves, se associem a covid longa.

Como saber mais sobre a ajuda no enfrentamento?

Evitar quadros agudos é a melhor maneira de prevenir a covid longa, como vacinação, uso de álcool em gel.

Há mudança na forma de tratamento da covid longa com relação ao outro quadro da doença?

Sim, a covid longa como uma doença crônica, tem um tratamento voltado para os sintomas residuais e para as doenças instaladas, dentro de uma especialidade médica, e sempre multiprofissional.

Deixe uma resposta