Com tumor no cérebro, mulher trans precisa de doações

Publicado por

Danny Braskis, 40, convive com uma deficiência física e agora enfrenta batalha contra o câncer; saiba como ajudar

Cecília França

Foto em destaque: Danny na Concha Acústica de Londrina/Cecília França

Mulher trans, Danny Braskis tem uma trajetória de superação. Agora, aos 40 anos, enfrenta uma de suas batalhas mais difíceis, um tumor no cérebro, identificado no mês passado, após anos de fortes dores de cabeça. Natural de Guarulhos (SP), Danny vive atualmente em Londrina, e já se prepara para a cirurgia, que será feita no estado de São Paulo no mês de abril. Vivendo apenas de uma aposentadoria, ela precisa de ajuda tanto para seu deslocamento quanto para a compra de um leite especial que precisa consumir, de alto custo. Cada lata custa quase R$ 80.

Por conta de uma deficiência no joelho, Danny necessita de andador para se locomover e espera conseguir dinheiro, também, para trocar o já desgastado equipamento de apoio. Ela conta que ficou viúva há pouco tempo, após um casamento de 22 anos, e para cobrir os custos com o enterro do esposo precisou fazer um empréstimo, o que diminui, ainda mais, o valor de sua aposentadoria.

“Eu trabalhava, hoje recebo uma aposentadoria, mas estou pagando o enterro. Ele queria ser enterrado em São Paulo, ao lado da mãe dele. Foi um acordo nosso. Peguei empréstimo. Recebo R$ 830 de aposentadoria, porque vem descontado, e pago aluguel”, relata ela.

Várias vezes Danny precisou ser hospitalizada para tomar morfina, devido às fortes dores de cabeça que sentia. Segundo ela, o tumor tem o tamanho de um grão de feijão e o médico acredita que a cirurgia nesse momento pode ser curativa. “O médico dosse: talvez você não vá precisar de quimioterapia, mas talvez sim, então vai se preparando”, explica.

E complementa: “O médico disse que é melhor operar agora, porque se o tumor crescer vai ser difícil e pode ficar com sequela, ficar vegetando”. Após a cirurgia, Danny pretende se recuperar na casa de uma tia, sua madrinha, mas planeja retornar para Londrina.

Para contribuir com ela, basta fazer um PIX para o e-mail: dannybraskys384@gmail.com

Leia também:

Criado este mês, ambulatório de saúde é luta antiga da comunidade trans

Deixe uma resposta