No Dia da Mulher, MST distribui alimentos no São Jorge

Publicado por

Ato homenageou a líder comunitária Wal Moreno, morta em janeiro, vítima de infarto

Nelson Bortolin

Fotos: Bruno Mazzoni

Cercas de 200 quilos de alimentos foram doados na manhã desta terça-feira (8), Dia Internacional da Mulher, para 200 famílias do Jardim São Jorge, zona Norte de Londrina. A iniciativa é do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Os kits entregues às moradoras foram denominados ‘Kits da Wal’, uma homenagem à líder comunitária Walkiria Moreno, falecida em 15 de janeiro deste ano, aos 43 anos, vítima de infarto.

“Neste Dia da Mulher, seguimos com o legado da Wal, nossa amiga que sempre lutou pelos direitos das mulheres”, afirma Adriana Cordeiro, fundadora do projeto Amigas do São Jorge, junto com Walkíria. “A gente sempre defendeu as mulheres agredidas pelo esposo, pelo namorado. Sempre entrou na discussão. Colocava o homem para correr, como falava a Wal.”

O ato contou com palestra de uma integrante da Guarda Municipal de Londrina sobre como as mulheres devem agir se forem vítimas de agressão. “Os homens acham que o lugar da mulher é no fogão. Estão enganados. O lugar da mulher é onde ela quer”, ressalta Adriana.

Coordenadora estadual do MST do Assentamento Eli Vive, Sandra Ferrer explica que o ato é uma forma de as trabalhadoras do campo “demonstrarem seu carinho pelas companheiras da cidade”.

“Nós, que estamos na roça, temos melhores condições de nos alimentar. As companheiras urbanas têm mais dificuldade de conseguirem alimento ainda mais depois que começou a pandemia”, alega.

Além dos alimentos, as mulheres receberam kits com produtos de higiene. À tarde, 80 delas participaram de uma doação de sangue ao Hemocentro do Hospital Universitário.

Leia também: São Jorge se despede da líder comunitária Walkiria Moreno

Deixe uma resposta