Lula visita Assentamento Eli Vive no próximo sábado

Publicado por

Rede Lume participa do encontro, que deve reunir 10 mil pessoas e arrecadar alimentos para doação

Da Redação

Foto em destaque: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula visita, no próximo sábado (19), o assentamento Eli Vive, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Londrina. Batizada de “Jornada de Solidariedade: Rumo aos Comitês Populares”, a atividade está sendo organizada pelo MST e pretende reunir cerca de 10 mil pessoas, a maioria vinda de comunidades do movimento de todas as regiões do estado.

A ação é restrita a pessoas convidadas, realizada em local aberto, com orientação para uso de máscara e de álcool em gel. A previsão é de início às 10h e término às 15h. Está confirmada a participação da presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) e deputada federal Gleisi Hoffmann, de Roberto Requião, ex-senador que irá se filiar ao PT nesta sexta-feira, e dos dirigentes nacionais do MST João Pedro Stédile e João Paulo Rodrigues.

Este vai ser o primeiro encontro presencial massivo do MST-PR após o início da pandemia da covid-19 e também o reencontro de Lula com militantes que integraram a Vigília Lula Livre, em Curitiba, durante a prisão do ex-presidente. Pelo menos 3 mil militantes do MST no Estado participaram da Vigília.

Segundo a assessoria do MST, o ato vai marcar o lançamento nacional dos comitês de base dos movimentos, que têm como objetivo avançar na organização dos trabalhadores e fazer o debate sobre um projeto popular para Brasil “com a população nos bairros, nos locais e de estudo, igrejas e espaços culturais”.

Foto aérea do assentamento Eli Vive/Wellington Lenon-MST/PR

Sandra Ferrer, assentada no Eli Vive e integrante da direção estadual do MST, diz que a comunidade e todo o MST do Paraná estão mobilizados para garantir a realização de uma bela atividade.

“Nós estamos muito felizes, radiantes. Queremos mostrar pro presidente Lula toda a nossa luta de anos, e que a reforma agrária é possível. Com a conquista da terra, que tem como trabalhar com a agroecologia, produção de comida para o povo, saúde, educação, cuidar da natureza”.

Solidariedade e organização popular

Cada participante da atividade está convidado a contribuir com a doação de alimentos que serão partilhados em bairros periféricos de Londrina. A expectativa é reunir cerca de 60 toneladas de legumes, grãos, panificados, frutas e lácteos produzidos pelas famílias Sem Terra. A partilha das cestas será entre os dias 20 e 21 de março.

A doação integra a campanha permanente do MST desde o início da pandemia, que tem levado alimentos a quem enfrenta fome neste período de crise econômica e social. No Paraná, cerca de 900 toneladas de alimentos e mais de 100 mil Marmitas da Terra já foram partilhadas. O assentamento Eli Vive participa ativamente das mobilizações de solidariedade.

Deixe uma resposta