Bebê morre no Flores do Campo; frio pode ter sido a causa

Publicado por

SAMU foi acionado para socorrer a criança, mas o bebê já estava sem vida; família imigrou da Venezuela e morava na ocupação há apenas cinco dias

Da Redação

Um bebê de quatro meses, filho de mãe venezuelana, morreu na manhã desta quarta (15), na ocupação Flores do Campo, na Zona Norte de Londrina. A causa, segundo moradores, foi o frio. O menino chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas já estava em óbito. O corpo encontrava-se no Instituto Médico Legal (IML) e foi retirado pela Acesf no fim da tarde. A reportagem apura mais informações.

De acordo com Silvana Silva Mariano, moradora do Flores do Campo, mãe e bebê haviam chegado na ocupação na última sexta-feira (10), com poucos pertences, e não tinham nem o básico para sobreviver.

“Depois do acontecido diminuiu muito as doações aqui”, lamenta ela, referindo-se a um corpo que foi achado em um chiqueiro da ocupação, no mês passado. Para ela, o Flores do Campo ficou estigmatizado e, apesar do apoio da assistência social, os moradores têm passado muitas dificuldades.

“Tem umas 500 famílias aqui. Todo dia chegam venezuelanos”, conta Silvana, que pede ajuda da imprensa para divulgar a realidade da ocupação.

A reportagem procurou a Cáritas, mas não obteve informações pois os atendimentos realizados pela organização ocorrem em sigilo.

Em nota, o Núcleo de Comunicação da Prefeitura informa que “em relação à criança atendida no Flores do Campo, a Secretaria de Saúde encaminhou o SAMU por volta das 10h45 e chegando a equipe médica ao local, a criança já estava em óbito, não sendo possível precisar o motivo da morte. O corpo foi encaminhado para IML para investigação da causa morte. A Saúde aguarda o resultado do IML onde o corpo se encontra. A Secretaria de Assistência Social está dando todo amparo a família da criança”.

Desde o início da pandemia, o Flores tem recebido muitos imigrantes e brasileiros, aumentando a vulnerabilidade das famílias que ocupam o espaço.

(Atualizada às 18h29)

Leia também:

Ato lembra 5 anos da morte de Gabriel Sartori

Deixe uma resposta