Negro e periférico, Renato Freitas é primeiro vereador cassado da história de Curitiba

Publicado por

Vereador negro e periférico é cassado, pela segunda vez, durante sessão marcada por falas racistas

Da Redação

Negro e periférico, Renato Freitas (PT) é o primeiro vereador cassado da história da Câmara de Vereadores de Curitiba. Em nova sessão nesta sexta-feira (5), 23 parlamentares deram voto favorável à perda do mandato de Freitas, contra sete contrários e duas abstenções. Parlamentares acusados de peculato, “rachadinha” e até assédio já foram poupados de cassação pela Casa.

Em suas redes sociais, Freitas divulgou vídeo em que compara a punição dada a ele com casos anteriores. “Esta casa de leis é exatamente a mesma que inocentou vereadores e vereadoras das acusações de corrupção, ‘rachadinha’, assédio sexual, formação de quadrilha, racismo, peculato, entre outros crimes”, lembra.

No vídeo, Freitas lembra o motivo do processo contra ele: ter adentrado à igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos em 4 de fevereiro durante um protesto contra as mortes de pessoas negras. Ao contrário do que diz a acusação, já não havia missa no local.

O próprio padre responsável pela celebração, Luiz Haas, compareceu à sessão de cassação de Freitas na Câmara e a Cúria da Igreja Católica já afirmou que considera a cassação uma punição excessiva.

“Foram quatro as acusações que fizeram contra mim. Mas ficou provado: não interrompi a missa, não invadi a igreja, não desrespeitei a fé de ninguém. Só sobrou a acusação de que eu teria feito um ato politico dentro da igreja e por essa única acusação me condenaram à pena máxima: cassação”, ressalta Freitas nas redes sociais.

O jornal Plural relata o racismo institucional presente na sessão desta sexta-feira que cassou o mandato do vereador e a intenção da defesa de recorrer judicialmente.

O Partido dos Trabalhadores divulgou nota de repúdio à cassação. Leia na íntegra:

REPÚDIO À CASSAÇÃO DO VEREADOR RENATO FREITAS

O Partido dos Trabalhadores do Paraná vem a publico manifestar seu repúdio a injusta cassação do vereador de Curitiba, Renato Freitas. Representante da periferia da cidade, Renato vem sendo alvo de perseguições políticas de cunho racista, e tendo seu direito à defesa cerceado.

Renato não cometeu ato ilícito ou crime algum e não há nenhum indício que justifique tamanha perseguição contra o vereador petista. Com uma série de irregularidades sendo cometidas durante todo o processo de julgamento, a cassação de Renato é um triste episódio na história da Câmara de Vereadores de Curitiba que já chegou absolver parlamentares envolvidos com rachadinha, corrupção, racismo e assédio sexual.

O PT continuará recorrendo na justiça para que os direitos políticos de Renato Freitas sejam respeitados, assim como, os votos que o elegeram.

Deixe uma resposta