Pedro Luis Kurunczi, de Londrina, está entre os que poderão arcar com os custos da destruição na Praça dos Três Poderes em 8 de janeiro

Da Redação

Foto em destaque: Print de vídeo que mostra a chegada de londrinenses a Brasília

Doze dos 13 paranaenses que tiveram os bens bloqueados pela Advocacia-Geral da União (AGU) por financiarem ônibus para os atos antidemocráticos de 8 de janeiro, em Brasília, podem ser condenados a pagar pelos danos materiais contra os prédios públicos depredados. Um deles é de Londrina.

Confira lista completa dos paranaenses na reportagem do Plural.

O londrinense citado é o empresário Pedro Luis Kurunczi. Seu nome apareceu na lista inicial da AGU, divulgada em 12 de janeiro, como um dos responsáveis pelo fretamento dos ônibus em Londrina. Seis ônibus saíram da cidade rumo a Brasília.

Segundo informações levantadas pela reportagem, Kurunczi é empresário com participação em 10 CNPJs perante à Receita Federal do Brasil. Todos em Londrina. Dois deles estão ativos: Laris Empreendimentos Ltda. e E.E.G.P. Escritório de Engenharia e Gestão de Projetos Ltda.

Nas redes sociais, o perfil de Kurunczi aparece sem fotos ou postagens. A Lume tentou contato hoje com o escritório de advocacia que representa o empresário, mas não recebeu um retorno oficial até o fechamento da matéria.

Deixe uma resposta

%d