Mortes em confrontos com policiais crescem quase 10% no Paraná

Publicado por

Londrina segue como a segunda cidade com mais casos de mortes violentas no Estado, somando 32 ocorrências em 2021

Da Redação

O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), divulgou nesta quarta-feira (27) levantamento do número de mortes em confrontos com policiais civis e militares e guardas municipais durante o ano passado em todo o Estado.

No total, foram 417 mortes em 2021 (sendo 211 no primeiro semestre e 206 no segundo). O número indica um aumento de 9,74% em relação ao ano anterior (2020), quando ocorreram 380 mortes.

Londrina segue sendo o segundo município com mais mortes em supostos confrontos. Foram 32, contra 58 do ano anterior, uma redução de 45%. Entre os 32 casos da cidade, estão os cinco que ocorreram em apenas uma semana, no mês de abril, como mostrou a Rede Lume.

Veja número de mortes por municípios no quadro ao lado:

No total do Estado, grande parte das ocorrências resultou de confrontos com policiais militares: 408 (208 no primeiro semestre e 200 no segundo), enquanto os casos envolvendo policiais civis foram dois (um em Curitiba e outro em Foz do Iguaçu), e os com guardas municipais somaram sete (cinco em Curitiba, um em São José dos Pinhais e um em Araucária).

Considerando-se apenas as mortes em confrontos com policiais militares, os dados apontam que 62,16% das mortes foram de pessoas de até 29 anos. Entre os mortos nesses confrontos, 47,7% eram pardos, 5,6% eram negros e 46,7% eram brancos.

Nesta quarta-feira (27), foi entregue ao governador do Estado uma carta assinada por diversas instituições, entre elas o MPPR, com sugestões para diminuição da violência policial no Paraná.

Mortes em confrontos: estratégia nacional vai apurar casos

O controle estatístico das mortes em confrontos policiais pelo Gaeco faz parte de estratégia institucional de atuação do MPPR com o objetivo de contribuir para diminuir a letalidade das abordagens conduzidas pela polícia. As iniciativas do Ministério Público com esse intuito são constantemente discutidas com representantes da Secretaria de Estado da Segurança Pública, da Polícia Civil e da Polícia Militar.

O Ministério Público do Paraná, a exemplo dos demais MPs do Brasil, aderiu ao programa nacional “O MP no enfrentamento à morte decorrente de intervenção policial”, instituído pelo Conselho Nacional do Ministério Público, por meio da Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança.

A iniciativa do CNMP tem como objetivo assegurar a correta apuração das mortes de civis em confrontos com policiais e guardas municipais, garantindo que toda ação do Estado que resulte em morte seja investigada.

Leia também:

Quem tem direito à humanidade na guerra?

Deixe uma resposta